Olá Pessoal,
Quem me acompanha sabe que uma das minhas paixões são livros, adoro leitura, estou lendo bastante, mas já tem um tempo que não falo sobre isso aqui no blog, tenho vários livros para mostrar pra vocês e vou começar com estes dois, "Se Eu Ficar" e "Pra Onde Ela Foi", ambos escritos por Gayle Formam, vamos ao resumo??

Se Eu Ficar
No livro conhecemos a história de Mia: uma adolescente nerd e super na dela, que tem como paixão da vida dela tocar violoncelo. Mia mora com seus pais, que são jovens e extremamente atuais e descolados. Eu preciso falar da família de Mia, porque cada parte dessa família ganhou um lugar no meu coração: seu pai tinha uma banda e largou tudo para se tornar professor quando a responsabilidade bateu à porta, mas permanece daquele jeito largado, cheio de estilo, e é o personagem mais engraçado e sarcástico do livro e possivelmente o pai literário mais perfeito que já tive a honra de ler. Sua mãe, de jovem rebelde se tornou uma “mãe ursa” – palavras de Mia – e faz de tudo pelos seus filhos, mas nunca deixa de largar palavrões pela casa e de dizer que a vida é uma merda. Ambos são engraçados e divertidos mas são acima de tudo, amorosos. Fazem questão que Mia e seu irmão sejam felizes, busquem seus próprios sonhos e tomem suas próprias decisões. O amor desse lar se completa com Teddy, o irmão menor de Mia. A relação deles não é de ciúmes, nem de irmãos que brigam (embora role aquela briga as vezes, cascudos etc): Teddy só dormia ouvindo Mia tocar quando era bebê, e era só Mia que lia pra ele toda noite um capítulo de Harry Potter. A ligação entre os dois é suave e linda, não tem como não se apaixonar. Essa foi a família que me conquistou no primeiro parágrafo, numa cena normal dentro de casa num café da manhã. E foi por essa família que eu chorei.
Mia se sente um pouco deslocada por gostar de música clássica enquanto sua família é punk, por ser introspectiva enquanto todos são engraçados e festeiros, mas nada disso diminui seu amor e sua vontade de estar entre eles. E é assim que ela passa o tempo: tocando, com sua família e com Adam. Mia ainda não entende porque Adam está com ela, como ele – lindo, engraçado, inteligente e integrante da banda Shooting Star, que está ficando cada vez mais popular em Portland – se interessou por ela, mas a questão é que ele é extremamente e intensamente apaixonado por Mia, e juntos eles são responsáveis pelos momentos doces e de romance do livro.
Já nos capítulos iniciais, temos o divisor de águas da vida de Mia: o acidente. Rápido e confuso, uma hora ela estava no carro com sua família indo visitar amigos, e na outra, ela estava parada no asfalto gelado da neve, olhando os corpos dos pais – e o dela própria – estirados no chão. Mia acompanha os paramédicos chegarem e fazerem de tudo para reanimá-la, acompanha a viagem até o hospital, a sua própria cirurgia: tudo como uma observadora externa, vendo a si mesma entubada e cheia de fios. Enquanto presenciamos a angustia de não poder falar, não poder ser vista, não saber como está o próprio irmão, Mia vê seus tios e primos chegarem, vê sua melhor amiga Kim na capela, rezando pela sua volta, vê seus avós desolados e vê Adam. Ela acompanha os Adams: o em estado de choque, o Adam revoltado que tenta invadir a UTI, o Adam em prantos e então, o Adam apaixonado.

 Pra Onde Ela Foi
Tem três anos que aconteceu o acidente que matou a família de Mia e que o amor de Adam a salvou, mas eles não estão mais juntos. Uma bela surpresa para quem não leu a sinopse desse livro e perceber que a vida do namorado de Mia mudou drasticamente. Agora ele é um astro do rock, daqueles que não podem andar na rua, faz muito sucesso e é objeto de interesse da impressa e dos fãs, também tem uma namorada celebridade. Mas ele não é feliz. Adam transformou-se num homem solitário, vazio e que não sabe o que é alegria. Ele tem ataque de pânicos, toma remédios para ansiedade e está viciado em cigarros. Ele é apenas uma casca do que era quando namorava com Mia, mas a pergunta que todo leitor faz durante os primeiros capítulos é: ''O que aconteceu?'' São tantas coisas, mas prefiro não comentar os detalhes. Eu compreendi os motivos deles se separarem, mas meu coração foi partido muitas vezes. Gayle Forman narra a dor de Adam de uma forma tão intensa que você sente aquilo que ele está sentindo, você quer pegar ele no colo e cuidar.
Mia está diferente, mais madura e mesmo levando a dor da perda de toda sua família conseguiu se erguer. Agora ela é uma talentosa e conceituada violoncelista, formou-se em Julliard e vai começar sua turnê pelo mundo. Ela nunca poderá ser a mesma, mas amadureceu e sobrevive a cada dia. 
Minha Opinião
Eu não assisti ao filme Se eu Ficar por que queria primeiro ler o livro, geralmente os livros são melhores e mais detalhados que o filme, mas pra falar a verdade não me apaixonei pelo Se eu Ficar, esperava bem mais sabe, sei lá me decepcionei um pouco, não acredito nessa idéia do espírito ficar fora do corpo (sem julgamentos ok??), enfim, já o segundo livro, eu gostei mais pois como sou romantica, gostei mais do andamento do livro e o amadurecimento dos personagens, com certeza o livro nos fala claramente sobre o perdão, a superação,o amor e como tudo isso nos leva a uma busca pela felicidade, embora não tenha amado, ainda assim recomendo a leitura, pois durante os dois livros tirei vários aprendizados.

2 COMENTÁRIOS ❤

  1. Gostei muito das dicas de livros, também amo ler! Estou lendo um que depois te conto rsrs
    Bjs
    comqueroupavouparaigreja.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jacke,
      Me conta mesmo, adoro sugestões de livros, amo demais ler, bjo!!

      Excluir